Saladeira Fantasia Azul

REF: AT_bor63 Categorias: , ,

21.00

Saladeira Fantasia Azul

Saladeira tamanho 23 da coleção Fantasia, em faiança.

Uma coleção singela e transversal, em cores diversas que se conjugam criando um serviço de mesa mais tradicional, ou dinâmico e divertido. Fantasia para além das cores de verde água, verde alface e cinza, apresenta agora uma variedade de cores mais quentes convidativas a usar nas épocas mais frias do ano: bege aveia, vermelho, cacau e verde oliveira.

Uma coleção repleta de cor permitindo fazer conjugações únicas ao longo de todo o ano.

Resistência ao Microondas
Todos os produtos podem ir ao microondas, para a função de aquecimento, excepto aqueles que contenham acessórios de madeira e de metal, e não os coloque vazios.
Usar sempre uma pega ou luva ao remover os artigos de faiança do microondas.
– Resistência à Máquina de Lava-Louça
Os produtos podem ir à máquina de lavar louça, evitando a sua permanência na máquina após a conclusão do programa de lavagem (evitando o ataque da superfície pelos vapores gerados).
– Desaconselhável o uso no forno.
– Resistência ao Choque Térmico
Os produtos Bordallo Pinheiro não são resistentes ao choque térmico abrupto, ou seja, deve-se evitar colocar as peças quentes em locais frios ou em contacto com a água fria.

Em stock (pode ser encomendado sem stock)

Compare

A marca Bordallo Pinheiro é herdeira da Fábrica de Faianças das Caldas, fundada a 30 de Junho de 1884.

Raphael Bordallo Pinheiro (1884-1905), responsável pelos aspetos técnico-artísticos da Fábrica, foi o criador de centenas de modelos cerâmicos de criatividade ímpar, baseando-se nas tradições de olaria locais e adotando a fauna e a flora como inspiração decorativa.

A equipa de operários da Fábrica produziu obras arrojadas, quer pelas dimensões, quer pela delicadeza dos pormenores, mas também pelo alto nível técnico atingido, principalmente ao nível da modelação e dos vidrados.

As peças utilitárias e decorativas da marca continuam assim a alimentar o imaginário coletivo nacional e a levar mais longe o prestígio da cultura e da indústria portuguesas.